Entrevista de José Carlos Vieira, diretor da Acta Turismo, para o Jornal Estado de Minas

No dia 31 de Dezembro de 2011, o diretor da Acta Turismo, Jose Carlos Vieira, foi entrevistado para o Jornal Estado de Minas, contando um pouco sobre suas supertições e expectativas para a virada do ano de 2012

Publicação: 31/12/2011

Empresários mineiros recorrem à fé e às

simpatias para atrair os bons negócios em 2012

Saravá, 2012! A noite de hoje promete ser recheada de simpatias e superstições para entrar o ano novo com o pé direito. Nos negócios, os executivos e empresários mineiros revelam que não há uma “receita pronta” para espantar os maus fluidos e chamar a sorte para novas realizações e ganhos. Cada um tem sua crença própria a ser usada no réveillon. Vale reza, mantra, cor de roupa, consumo de frutas, pular onda, tudo na busca da paz, harmonia e prosperidade.

E engana-se quem acha que a astrologia e as crenças são usadas com foco maior na vida pessoal. Elas são forte aliadas também da vida profissional, como relata a astróloga Dulce Campolina, focada no lado empresarial e há 25 anos na área. Cerca de 60% dos clientes da astróloga são homens, sendo que 40% vão ao escritório atrás de consultoria ligada aos negócios. De forma geral, ela dá a dica para quem quer ser bem-sucedido em 2012. “É importante que as pessoas sigam o fluxo positivo do caminhar dos planetas”, diz.

O empresário Luiz Antônio Rodrigues, diretor-presidente da imobiliária Lar Imóveis, com quatro unidades na capital, passa o réveillon há 20 anos na sua fazenda. Este ano mudou e foi para Miami (EUA), onde tem apartamento. Apesar da mudança de ares, Rodrigues vai levar algumas simpatias para a virada de ano. “Faço sopa de lentilha e tomo durante a ceia. Significa abundância. Como também romã”, diz. Ele é devoto de São Judas Tadeu e tem capela com o nome do santo na sua fazenda, onde realiza rezas. “Eu já pedi muito, agora só agradeço. Não abro mão da reza com a família”, diz.

O branco é a cor escolhida pelo empresário para a virada. Ao longo do ano ele também usa o branco todas as sexta-feiras. “É uma forma de terminar a semana com paz. O branco reflete os maus fluidos, já o preto os absorve”, explica. Ele é supersticioso até com o carro. O modelo preto costuma ficar na garagem na sexta-feira. “Saio com o prata ou branco”, afirma.

Quando o relógio bater meia-noite hoje, o empresário José Carlos Vieira, diretor da Acta Turismo, vai falar um mantra para atrair bons fluidos. A frase está gravada no seu celular e é compartilhada por sua mulher. Vieira escolhe ainda uma boa bebida para degustar no momento da virada. “É para entrar o ano bem”, diz.

Tudo branco é a opção do empresário para a virada do ano. “Até o tênis procuro colocar branco. Costuma me dar sorte”, afirma. Apesar de trabalhar com turismo, Vieira não vai viajar no réveillon deste ano. Ele vai passar no clube PIC, na Pampulha. Vieira é católico e frequenta missa todos os domingos. Ao longo da semana tem um oratório com São José e São Judas na sua agência. “Faço rezas na hora que entro e saio da sala”, diz.

De azul Neste ano o empresário Lúcio Costa, diretor-presidente da Suggar, decidiu inovar na cor da roupa na virada do ano: vai ser azul. “É a cor da paz, da tranquilidade. Já usei branco e amarelo, mas este ano decidi mudar”, afirma. Ele vai passar o réveillon com a família em Escarpas do Lago. O empresário está otimista com o futuro do país. “O Brasil é hoje a sexta economia do mundo. A Suggar tem um mix de 154 produtos e vai lançar 20 até o fim de março”, diz. A sua mulher, Patrícia Costa, diretora da Cook Cozinhas, vai passar a virada do ano com vestido de renda bege. “Recebi horóscopo chinês e a dica foi para eu usar uma peça bege. Vou seguir e repassei a simpatia para as amigas”, conta.

O empresário Tiago Cotta Carvalho, dono da rede de motéis Sunny Day, também já escolheu a cor da roupa (calça, cueca e camisa) que vai usar na virada do ano: branca. Ele sempre passa o réveillon em seu sítio em Ouro Preto. Mas este ano resolveu ir para o Rio de Janeiro. “E vou fazer o ritual de pular as sete ondas, que traz vida longa e prosperidade”, revela.

Por Geórgea Choucair – Estado de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *