Dicas excelentes para curtir a cidade de São Paulo (pelos jornalistas da PANROTAS)

Para comemorar os 458 aos da cidade de São Paulo, os jornalistas da PANROTAS dão suas dicas pessoais para que os visitantes aproveitem Sampa de uma maneira diferente e local. Confira abaixo e se quiser deixe também a sua dica. “São Paulo é uma cidade complexa e diversa e conhecê-la faz com que gostemos ainda mais dela. Os que chegam e saem rapidamente a negócios, não sabem o que estão perdendo”, diz o editor-chefe da PANROTAS, Artur Luiz Andrade, carioca, que está há 14 anos na cidade.

Comemore o aniversário de Sampa com as melhores dicas dos jornalistas da Panrotas

DICAS DE DANILO ALVES (Nascido em São Paulo, mora na zona sul, em Interlagos)

Shows
Localizado na avenida Nações Unidas, o Credicard Hall é uma das melhores opções para se assistir a shows e espetáculos na capital paulista. Com uma programação variada e uma acústica incrível, a casa agrada a todos os públicos. Ali acontecem os maiores shows de samba, MPB, axé, bossa nova, jazz e de astros da música internacional. O acesso é fácil para quem vai de carro, de ônibus ou de trem. Antes ou depois do show, dá para comer no SP Market, um shopping situado bem próximo da casa. Site: www.credicardhall.com.br.

Para dançar até de manhã
A Gambiarra definitivamente é a festa para quem deseja dançar muito em uma pista de dança. A balada é freqüentada principalmente por atores e profissionais ligados à comunicação (jornalistas, relações públicas, radialistas e publicitários). Há duas edições da Gambiarra: uma aos domingos, no Open Club, no bairro de Pinheiros, e outra na The Week, quinzenalmente, na Lapa. O som é eclético. Lá, ouve-se de Maria Rita até as swingueiras que marcaram a década de 90, como É O Tchan e Terrasamba. A Gambiarra agradou tanto os freqüentadores dessas duas casas noturna que recentemente chegou a lançar um CD, com músicas selecionadas pelo DJ residente, Miro Rizzo. Serviço: www.gambiarraafesta.com.br.

Para matar a fome
Eleita uma das melhores hamburguerias de São Paulo, a Hamburgueria do Sujinho é uma boa pedida para quem gosta de fast food e deseja fugir daqueles estabelecimentos convencionais, onde se paga muito e come-se pouco. No Sujinho, além dos tradicionais hambúrgueres, prove também a deliciosa batata-frita, que vem acompanhada de molhos incríveis. Serviço: Rua Maceió, 64 – Consolação. Tel: 3231-5207 e site www.hamburgueriasujinho.com.

DICAS DE SÁVIA REIS (Nascida em Teresina, Piauí, mora na zona leste da cidade)

Desce e sobe a rua Augusta
A rua Augusta (lado centro) é a mais heterogênea de São Paulo. É ali onde se reúnem diversas tribos: os arrumadinhos, os endinheirados, os roqueiros, os gays e simpatizantes, os descolados, os intelectuais, entre outros grupos. E muita coisa dá pra ser feita por lá. Ver um filme no Unibanco Arteplex, tomar uns “bons drinques” no bar Ibotirama, dividir uma pizza com amigos na Vitrine, assistir a um espetáculo de stand-up no Comedias Club, dançar até o dia raiar no Vegas, ou simplesmente descer e subir a rua Augusta para encontrar os amigos que chegam a todo tempo.

Dançar e dormir
No burburinho da Vila Madalena está o Casa Club, que é na verdade um hostel. Mas à noite, até o horário do Programa de Silêncio Urbano (Psiu), os frequentadores do bairro são convidados a participar de uma balada. Lá, além de dançar e fazer amigos, é possível praticar outros idiomas, visto que tem turistas de todo o mundo, que preferem uma estada mais descolada e gastando menos. Se o visitante chegar lá e se sentir um pouco perdido, a dica é colar no bar e pedir uma breja para o Sergião. Pronto! No Casa, ninguém fica sozinho. Serviço: Rua Mourato Coelho, 973 – Vila Madalena – (11) 3798-0051 – www.casaclub.com.br.

Sem varizes
A coxinha é a especialidade mais famosa do Frangó. O salgado é recheado de frango e queijo catupiry. A casa existe há 22 anos e é também uma referência em carta de cervejas, que conta com mais de 300 rótulos nacionais e importados. Fica a dica! Serviço: Largo da Matriz Nossa Senhora do Ó, 168 – Freguesia do Ó – (11) 3932-4818 – www.frangobar.com.br

DICAS DE BIAPHRA GALENO (Nascido em São Paulo, mora na zona leste)

Aceita cartão?
A barraca de pastel de José Hiromi Mori, mais conhecido como Zé, é uma ótima pedida para quem procura produto de qualidade por preço justo. Localizada na praça Charles Miller, na feira livre em frente ao estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu), a barraca tem a maior parte dos pastéis no valor de R$ 3 e se destaca pela massa fina e os generosos recheios – tradicionais e outros, nem tanto, como o de carne seca com catupiry. O Zé também dá a opção de pagar com cartão, até mesmo se o cliente quiser caldo de cana, encontrado na barraca ao lado. O recheio experimentado e recomendado é o de carne, com acompanhamento de caldo de cana com maracujá. Uma delícia!
Serviço: Praça Charles Miller, s/n.

Vanguarda
Saber o que se passa culturalmente em uma cidade multifacetada e caótica como São Paulo é uma tarefa difícil. O Sesc Pompeia, uma das 32 unidades do Sesc-SP, porém, abarca toda a efervescência contemporânea – não somente da metrópole –, ao passo que também é um espaço de vanguarda. Shows, peças teatrais, exposições de todo tipo, biblioteca. Como se não bastassem as áreas voltadas à cultura, o Sesc Pompeia dispõe de piscinas e academia, além de restaurante e lanchonete. É comum acontecer simultaneamente peças no teatro, shows na choperia e apresentações itinerantes de artistas por toda a unidade. Uma das características patentes do Sesc-SP é o preço das atrações. Exemplos: o cantor e compositor Moska realizou show recentemente, com ingresso a R$ 20. O ator Caco Ciocler está com a peça “A Construção”, com ingresso a R$ 24, até 25 de março. Estudante paga meia.
Serviço: Rua Clélia, 93 – Pompeia. Telefone: (11) 3871-7700. Site: www.sescsp.org.br.

DICAS DE CLAUDIO SCHAPOCHNIK (Nascido em São Paulo, mora na Casa Verde, zona norte)

A melhor queijadinha
Quando dá aquela vontade imensa de comer um doce, logo após meu almoço nas imediações da PANROTAS, não tenho dúvida. Vou direto à Padaria Monte Rei para comer a sensacional queijadinha, feita à base de ovos, farinha e açúcar, entre outros ingredientes, e sem coco. Custa R$ 2,80 cada. Deliciosa, cremosa por dentro e com gosto de infância. Lembra as que eu comia nas minhas férias no Guarujá, nos anos 1980: as famosas queijadinhas Praiano, feitas em Santos. Rua Fiação da Saúde, 269, Saúde, tel. (11) 2276-7663 e e-mail padariamonterei@ig.com.br.

O melhor falafel
No multicultural e multiétnico bairro do Bom Retiro, na região central da cidade, a israelense Malka Levy, que veio ao Brasil para lecionar aulas de hebraico em uma escola judaica há algumas décadas, trocou a profissão de professora pela de cozinheira, de mãos cheias, diga-se de passagem. Ela prepara o melhor falafel do mundo no seu restaurante – o Falafelit Malka. O bolinho frito de grão de bico e favas (que de fato é o falafel, ícone gastronômico do Oriente Médio) é servido no pão sírio – forma mais tradicional de comê-lo – ou no prato com os seguintes acompanhamentos: salada de pepino e tomate, berinjela e pepino em conserva e pimenta e tahine (molho à base de gergelim). Portanto, quem é vegetariano pode saboreá-lo sem problema. O restaurante fica dentro de uma galeria na movimentada rua José Paulino, portanto, é melhor ir de metrô – a estação mais próxima é a Tiradentes. Como tira-gosto, peça uma porção de homus ou saladinha de beterraba. Abre de segunda a sábado, das 11h30 às 16h, e não aceita cartões de débito e crédito.
Rua José Paulino, 345, loja 23A, tel. (11) 3222-2157. Ah e ainda se pode fazer compras, muitas compras na conhecida rua.

Andar na avenida Brás Leme
O canteiro central da avenida Brás Leme, que liga a ponte da Casa Verde à rua Voluntários da Pátria, na zona norte da cidade, convida àqueles que gostam de caminhar. O trecho é longo, creio que tem cerca de três quilômetros. Vale a pena, pois é bem tranquilo e há diversas espécies de árvores.

DICAS MARIA IZABEL REIGADA (Nascida em Santos, São Paulo, mora na região da av. Paulista)

Arte
Ao lado da Estação da Luz, no Bom Retiro, a Pinacoteca do Estado de São Paulo ocupa um dos edifícios mais bonitos da cidade, onde funcionou o Liceu de Artes e Ofícios, no final do século 19. O acervo tem importantes obras artísticas nacionais, com destaque para os quadros de Benedito Calixto, Lasar Segall e Di Cavalcanti. É cenário frequente de exposições e oferece cursos esporadicamente. A entrada custa R$ 6, mas a visitação é gratuita aos sábados. Praça da Luz, Bom Retiro. Tel. (11) 3324-1000

Comida nordestina
Da calçada da rua Cardeal Arcoverde, na Vila Madalena, só entra no Bar do Biu quem recebe alguma indicação sobre o local. O boteco tem tudo de boteco, inclusive o aspecto que não chega a ser dos mais convidativos. Ali dentro, em dois cômodos onde se apertam pouco mais de uma dúzia de mesas, são servidos os pratos preparados pela dona Edi, com foco na comida nordestina. O baião de dois é dos mais solicitados, mas quem quiser experimentar mais pratos pode pedir para dona Edi preparar os pratos na versão porções degustação. Rua Cardeal Arcoverde, 772. Tel. (11) 3081-6739

Boa música
A casa é pequena e discreta, em uma esquina de Moema. É ali o endereço do Ao Vivo Music, casa de shows de jazz da melhor qualidade em ambiente intimista onde é necessário reservar mesa para conseguir entrar às sextas e sábados. Segundas e terças são dias menos concorridos, dependendo do show. Vale consultar o www.aovivomusic.com.br para acompanhar a programação. Rua Inhambu, 229. Tel. (11) 5052-0072

DICAS ALEX SOUZA (Nascido em São Paulo, criado em Dois Córregos, mora em Pinheiros)

Cultura
Desde 1997, o Museu da Casa Brasileira, em Pinheiros, promove duas temporadas anuais do projeto Música no Museu. Trata-se de apresentações musicais gratuitas, sempre aos domingos, às 11h, com espetáculos de música instrumental, popular, erudita, entre outros estilos, realizados no terraço do museu, ao lado de uma linda área gramada e arborizada. A programação do Música no Museu deste ano ainda não foi divulgada. Hoje, porém, em função do aniversário da cidade, haverá uma apresentação da Orquestra Pão de Açúcar, às 11h. Outras informações: www.mcb.org.br

Saúde
Gosta de praticar cooper ou fazer uma boa caminhada? Uma dica é o bairro dos Jardins, mais especificamente no quadrilátero entre a Faria Lima e a Joaquim Antunes e entre a Sampaio Vidal e a alameda Gabriel Monteiro da Silva. As ruas da região são arborizadas, tranquilas, principalmente às manhãs e aos finais de semanas, e escondem algumas praças pequenas e charmosas, onde os moradores do bairro passeiam com crianças e cachorros, leem, namoram e até mesmo tomam sol.

Boemia
Localizado no início da avenida Faria Lima, o Pirajá foi o primeiro bar de São Paulo a adotar a temática carioca, com decoração típica, cardápio a caráter, quitutes especiais e um ótimo chopp com alguns dedos de colarinho. Uma das novidades mais recentes de lá é o projeto “Pra ver as meninas”, que de tempos em tempos traz promessas e nomes consagrados do samba para apresentações gratuitas, aos sábados. Nomes como Martnália, Thalma de Freitas e Mariana de Moraes (neta de Vinícios) já passaram por lá. Site: www.piraja.com.br.

DICAS DE ARTUR LUIZ ANDRADE (Nascido no Rio de Janeiro, mora na Vila Mariana)

Transportes
Viram quantas dicas legais aí em cima? Pois faça tudo isso de metrô (a maioria delas tem uma estação bem perto) ou de táxi (ao menos eles podem usar os corredores expressos e evitar os engarrafamentos da cidade). Caminhar também é uma pedida, especialmente na região da av. Paulista, nos Jardins, no Ibirapuera… Mais um motivo: estacionamento em São Paulo é bem caro.

Cinema grande
A única sala com tela IMAX do Brasil está em São Paulo, no Shopping Bourbon, na Pompeia. É uma das salas Unibanco (agora Itaú) e assistir a filmes como Missão Impossível, Harry Potter ou Batman na tela gigantesca, com som arrepiante, é uma experiência única. A cena de Tom Cruise no alto do prédio mais alto do mundo, em Dubai, em seu último filme, no IMAX fica ainda mais emocionante. E o shopping também tem boas lojas e restaurantes e ainda o Teatro Bradesco. Vale experimentar também os chamados cinemas Prime, com poltronas enormes, serviço de bar e outras mordomias. Tem no shopping Cidade Jardim e no Pátio Paulista. Mas, lembre-se: São Paulo = gente com dinheiro. Ingressos para shows, peças e eventos badalados acabam rapidinho.

Teatro
São Paulo tem dos musicais da Broadway à cena mais alternativa. O teatro produzido aqui parece mais cerebral, enquanto o do Rio é mais solar. Não importa qual sua corrente teatral, ela está representada em São Paulo, cidade que respira cultura. Vale visitá-la aliás durante a Virada Cultural, quando há uma programação de se tirar o chapéu, e a maioria de graça.

E ainda
OK, você quer conhecer o Spot, o Dalva e Dito, o terraço Itália, o Fasano, o Gero ou o Figueira Rubaiyat… Merecem. Mas na pressa não tenha dúvida: entre em uma padaria e se delicie. Nas padocas paulistanas se come muito bem. Ah, se quiser pizza, só de noite, Paulista não come pizza de dia. E algumas vêm sem muzzarela, portanto, perguntem…

Portanto, na próxima vinda a Sampa, beba, coma, divirta-se, assista, participe, corra, ande, compre, relaxe… São Paulo é assim, diversa e impressionante. E você? Tem alguma dica em São Paulo?

Via Panrotas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *