Brasil e Emirados Árabes assinam acordo de isenção de visto

Os turistas brasileiros que desejam conhecer os Emirados Árabes Unidos tiveram ontem uma ótima notícia: a isenção de visto de Turismo entre os dois países, para portadores de passaportes comuns, diplomáticos e especiais.

A decisão foi tomada ontem, em reunião entre o governo brasileiro, representado pelo ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, e o ministro de Negócios Estrangeiros e da Cooperação Internacional dos Emirados Árabes Unidos, o Xeique Abdullah Bin Sultan Al Nahyan, ocorrida nesta quinta (16) no Itamaraty. Uma série de acordos foram assinados entre os dois ministros, que trataram de assuntos como economia, investimentos, Turismo e outros temas diplomáticos.

Diplomatas e passaportes especiais já podem circular livremente entre os dois países. Para os portadores de passaporte comum, porém, ainda falta a aprovação do Congresso Nacional, uma vez que a isenção do visto envolve o fim da arrecadação de taxas para entrada de visitantes do país árabe no Brasil.

COMPANHIAS AÉREAS BENEFICIADAS

A cidade do Dubai é uma das mais procuradas por turistas no país

A cidade do Dubai é uma das mais procuradas por turistas no país

Outro acordo assinado na reunião de ontem reforçou a segurança jurídica das companhias aéreas que circulam entre os dois países: anteriormente, o transporte por vias aéreas entre Brasil e EAU era regulado apenas por um Memorando de Entendimentos, que permitia rompimento ou alteração de qualquer lado de modo unilateral; com o acordo, as empresas aéreas tem um respaldo jurídico maior para atuar no mercado entre os dois territórios.

“Os temas foram variados: falamos de comércio de alimento, cooperação, diálogo político e participação em outros grupos internacionais, além do momento atual do mundo”, explicou Nunes. “Foram assinados acordos sobre os serviços aéreos e sobre a isenção de vistos, e esses acordos refletem o interesse e compromisso no fornecimento e fortalecimento das relações de negócios, turismo e serviços entre nossos países”, finalizou o ministro brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *